Novo Protesto na ALERJ nessa Quinta-feira

Sessão extraordinária é realizada nesta manhã para apreciar os vetos do governo estadual. Venda da Cedae pode entrar em discussão na parte da tarde

Funcionários públicos estaduais voltaram a protestar em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), na manhã desta quinta-feira (9). Uma sessão extraordinária é realizada nesta manhã para apreciar os vetos do governo estadual pelos deputados. Os deputados precisam destravar a pauta, para que a discussão do projeto de lei que autoriza a venda da Cedae e o do piso salarial dos servidores possam ir a plenário. Dos 27 vetos, somente 13 foram analisados durante a sessão desta quarta-feira (8). A segurança na Alerj e no entorno está reforçada.
Durante a manhã, um grupo de servidores caminhou pela Avenida Presidente Vargas, deixando quatro faixas interditadas ao tráfego. Eles caminhavam em direção à Alerj, onde chegaram por volta das 12h. Neste horário, a Rua Primeiro de Março ficou interditada. Familiares de policiais e bombeiros, além das próprias categorias, carregam cartazes pedindo o pagamento dos salários atrasados.
Por volta das 12h, o presidente da Alerj, Jorge Picciani, determinou uma sessão extraordinária para as 19h para iniciar o processo de privatização da Cedae. A princípio, isso seria decido em uma sessão que teria início às 15h. No entanto, esta será dedicada à votação dos vetos ao Governo do Estado. A sessão extraordinária começará às 19h e poderá se estender até as 22h. Segundo o governo do Estado, as ações da Cedae viabilizariam um empréstimo de R$ 3,5 bilhões com a União.

Venda da CEDAE
O projeto de lei que que autoriza a venda da Cedae prevê, ainda, um prazo de seis meses para o estado contratar instituições financeiras responsáveis por avaliar a empresa e estruturar a operação de venda da companhia.
A oposição atuou nesta quarta-feira (8), para atrasar ao máximo esse processo. A autorização do uso das ações é a garantia que o Governo Federal exige “de forma irretratável e irrevogável” para viabilizar não apenas este empréstimo que permitirá o estado a colocar os salários do funcionalismo em dia, mas todo o Plano de Recuperação Fiscal proposto pela União, que representa um alívio de R$ 62 bilhões por três anos no caixa do estado.
O termo de compromisso para a ajuda federal ao Rio foi assinado dia 27 de janeiro pelo governador Luiz Fernando Pezão, pelo presidente Michel Temer e pelo ministro Henrique Meirelles. Para valer, no entanto, os deputados estaduais terão que aprovar contrapartidas.

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/servidores-do-rj-fazem-novo-protesto-nesta-quinta.ghtml
Foto: Manifestantes protestam na Presidente Vargas (Foto: Reprodução / Tv Globo) Manifestantes protestam na Presidente Vargas (Foto: Reprodução / Tv Globo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *